Pesquisa

Pesquisa personalizada

Tradutor - Translate

EnglishFrenchGermanSpainItalianRussianChinese SimplifiedJapaneseKoreanArabic

sábado, 13 de novembro de 2010

Na briga razão x emoção, de que lado vocês ficam?

Todo mundo já entrou numa fria por causa do coração: apaixonou-se por alguém que era mala-sem-alça, comprometido ou simplesmente não estava a fim de namorar; e, em vez de sair correndo, continuou na história que era pura roubada e acabou se dando mal.
Por que insistimos tanto em pessoas que já sabemos que não nos farão feliz? Será que é porque não dá para mandar no coração? Ou porque teimamos em acreditar que podemos fazer um final diferente?
Na briga razão x emoção, de que lado vocês ficam? Vocês já se deram mal por não dominar o coração?
Vejam o que as blogueiras  pensam sobre essa disputa nada equilibrada!
Ah, se o coração ouvisse o cérebro…
Luisa Pinheiro, do blog andmakemesmile.blogspot.com
O coração é ultra-romântico e azarento. Quando não escolhe o cara completamente errado, escolhe o quase impossível. Para mim, namoros cheios de adversidades até servem para que o amor mostre ser tão forte a ponto de superar todos os probleminhas. Mas não sei se entendo porque tantas meninas se apaixonam pelos caras que só querem amizade com elas, não querem compromisso ou não estão aí para ninguém. Sei que todo sofrimento é uma forma de aprendizado, mas não consigo enxergar tanta lição de vida vinda de um fora ou de um namoro que não deu certo. Eles só servem para alimentar a venda de doces em geral.
A gente gosta é de sofrer
Izabele Souza, do blog diariodeumacharlotte.blogspot.com
Dá pra mandar no coração, sim. Tem gente que diz: mas ninguém escolhe por quem se apaixonar! Mentira, mentira, mentira. Claro que escolhe! Esse é o maior mito da história das dicas furadas de relacionamentos. A gente não se apaixona apenas pelas pessoas certas, lindas, que gostam de você e, no fim, todos acabam felizes para sempre, selando tudo com um lindo beijo de amor num castelo cheio de filhos gordinhos e cachorros correndo. E sabem por quê? Porque, apesar de negar até a morte, a gente gosta mesmo é de sofrer. Se a gente nascesse com uma vida legal e cor-de-rosa, que graça teria?
Paixão III
Miara Minatto, do blog agiter.blogspot.com


No coração, ninguém manda não. Ele gosta de uma, duas, três pessoas. Me faz amar o César, querer o Rafinha e sonhar com o João. Mesmo que o César não me queira mais, que não tenha dinheiro, emprego ou cartão. Por outro lado tem o Rafinha: cara astuto, filho de família nobre na região. Seu jeito vem me chamando atenção já faz algum tempo, e algo me diz que desperto a sua atenção também. Finalmente temos o João: compartilhamos dos mesmos gostos e ideais, e desfrutamos de uma sintonia incrível durante os longos beijos na balada. Mas como ninguém é perfeito, o João é, por outro lado um beijoqueiro sem noção! Até em cima da minha amiga ele já deu! Mas e quem disse que o coração liga pra isso? Ele sofre, mas não muda de opinião. E por isso volto a dizer: no coração, ninguém manda não.
Mandando no Coração
Milena Araújo, do blog illusorium.com/x/
Esquecer um ex, gostar de quem gosta de você, amar seus inimigos. É realmente possível mandar assim no seu coração? Para mim, fazer qualquer uma das coisas citadas acima não é impossível. Doloroso e até humilhante pode ser, mas muitas pessoas já conseguiram tais feitos. Como, é que eu não faço a mínima idéia. Não dá para acordar um dia de manhã, pegar o jornal matinal e dizer: bem, já que hoje vai chover, vou esquecer meu ex. Acho que domar o coração exige certa frieza e muito autocontrole, sentimentos, que em minha pessoa, vieram faltando da fábrica. Comigo não dá para mandar no coração.
Jogo do amor 
Gabriela Pagliuca, do blog dancandosozinha.blogspot.com
Não posso prever o que cada pessoa vai sentir e o que cada uma vai dizer, e não consigo fazer com que o outro se apaixone exatamente do jeito que quero. Mas o mais estranho de tudo é que consigo, sem dúvida nenhuma, fazer dos meus sentimentos o que quero e o que a outra pessoa espera, se eu souber o que é. Consigo controlar meu sentimento como se fosse um fantoche. Consigo amar e desamar como um passe de mágica se a pessoa não estiver disponível ou se eu me der conta de que ela não era o personagem que inventei para que nós dois déssemos certo. Será que estou errada em fazer isso?
Is my heart ruling my mind
Beatriz Oliveira, do blog http://stinginess.blogspot.com
A escola ensina que o coração é um músculo involuntário. E, durante um certo tempo, não entendia muito bem o significado disso tudo. Ele funciona independente da nossa vontade, claro. Mas eu achava que podia conseguir fazê-lo parar de bater. Até que me apareceu alguém. E então, tive momentos de tirar o fôlego, experimentei sensações em que meus batimentos chegaram a mil, e tão fortes que eu nem conseguia ouvir meus pensamentos. E aí sim entendi o que a involuntariedade queria dizer

 Hã Coração
Wesley Campos, do blog http://juntocomvc.blogspot.com/
Um dia ou outro será sua vez, todo mundo passa por isso e é impossível controla o coração na primeira vez, pessoas aprendem a se conter depois de uma duas vezes, outras continua dominada pelo coração não importa o que aconteça...A vida tem suas diversidades e isso a deixa mas prazerosa. o coração e a razão seria um só se gostasse de quem gosta de si, mas o prazer se encontra na dificuldade no proibido na vontade de se supera e na certeza que você consegue.
Depoimento de Tality Alves
        neé...
Isso até se torna engraçado como agente é burro, coração meu agente gosta de sofrer é irônico.

A razão quer falar, o coração quer escutar;
A razão quer mandar, o coração quer partilhar;
A razão quer definir, o coração quer sentir;
A razão quer calcular, o coração quer arriscar;
A razão quer determinar o futuro, o coração quer gozar o presente;
A razão quer regras, o coração quer espontaneidade;
A razão quer medir as palavras, o coração expressa-as sem medo;
A razão quer manipular, o coração quer apenas se expressar sem jogar;
Enfim, o que determina meu amor por alguém?
A razão quer determinar características específicas: altura, peso, cor dos olhos, tipo físico etc...
mas o coração ignora a razão porque, como diz Saint Exupery, “o essencial é invisível aos olhos”
e é por isso que O CORAÇÃO realmente TEM RAZÕES QUE A PRÓPRIA RAZÃO DESCONHECE,
como dizia Blaise Pascal...


A Razão

A razão segue de um raciocínio inteligente, porém sem sentimento algum. Já o coração não, ele atropela a razão, o possível e impossível, e visa apenas o seu sentimento.
Em certos casos, seria bem mais simples esquecer do coração e seguir a razão, seguindo as mesmas coisas sem atravesar barreiras, sem enfrentar a vida. O coração ele é o caminho mais difícil, mais complicado, e diria também que o mais longo, só arriscam nele realmente os corajosos.
A razão é sempre a mais correta, sim se você considerar esse “correta” de um ponto de vista das pessoas, não há muito o que enfrentar, apenas aceitar as coisas, pessoas, sem questionar.

O Coração

O coração é o errado da história, por que segui-lo?
Ele, simplesmente, age naturalmente e faz as escolhas mais embaralhosas de sua vida, com muita loucura…
E assim, surge aquela dúvida…”E agora? A razão ou o coração?”
As pessoas que geralmente escolhem a razão é porque tem medo de se machucar. Já as que escolhem o coração estão ali arriscando, porém fazendo algo que realmente quer!
A razão nos prendem….O coração nos libertam!
O coração traz sofrimento… A razão nos acomodam!
A razão é dada…o coração é conquistado!
O coração traz a verdadeira felicidade…A razão algumas alegrias!
“A mil formas para sorrir, só UMA para ser FELIZ”
Eu só quero ser feliz, desculpe-me se te fiz sofrer, mas viver assim não dava mais! Estou à procura da minha verdadeira felicidade!

Obs= Uma coisa é certa sequindo um ou outro vamos erra ou acerta um tempo depois vamos nos perguta se fizemos o certo independente da situaçao.

4 comentários:

  1. A guerra RAZÃO x EMOÇÃO nunca terá fim, pois este é um assunto que divide muitas opiniões e requer grande reflexão, para que os prós e contras sejam postos em uma balança, para ver qual vale mais a pena e isso nunca foi uma decisão fácil, caso contrário, não viveríamos num mundo repleto de corações partidos!

    Difícil decidir a qual dos dois sentimentos apoiar!

    ResponderExcluir
  2. Adorei a postagem. Os comentário feitos pelas blogueiras dão reforço às opiniões, agora cabe a cada um optar entre elas!

    ResponderExcluir
  3. Respeito todas as opiniões, mas se for leva em consideração feliz é aquele que consegue viver equilibrando as atitudes sendo com razão ou emoção ou na mistura dos dois que também é muito prazeroso se souber ousar.

    ResponderExcluir
  4. engraçado esse texto foii escritoo depois de um comentário meu sobre o assunto, que por sua vez mto intrigante, que nos causa conflitos constantes *-*
    =p por: TiihAllves .:*

    ResponderExcluir

Comenta ;)